DIFERENÇAS PRESENTES NA UFCG: A EXPREIÊNCIA DE INCLUSÃO DE UMA ALUNA SURDA NO PPGLE1

Autores

  • Shirley Porto UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE
  • Maria Reinaldo UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE
  • Girlaine Aguiar UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

Palavras-chave:

Libras; surda; inclusão educacional

Resumo

O objetivo deste artigo é descrever o processo de inclusão da aluna Girlaine Felisberto de Caldas Aguiar no PPGLE
(Programa de pós-Graduação em Linguagem e Ensino) /UFCG (Universidade Federal de Campina Grande). Para
tal, consideramos que os processos de comunicação desenvolvidos precisam ser usados para auxiliar as pessoas
surdas em sua comunicação no dia a dia, de maneira independente (Lei 10.436/02 e do Decreto 5.626/05). Esses
dispositivos legais reconhecem a Libras como meio de comunicação natural e legítimo dos surdos e asseguralhes
o direito de usá-la perante a sociedade. Muitos surdos, entretanto, enfrentam barreiras de comunicação
devido à ausência de compartilhamento linguístico em língua de sinais, no caso do Brasil, Libras, por parte
da maioria da comunidade acadêmica que ainda os enxerga sob a ótica do paradigma clínico e do discurso
da deficiência. Diante dessa realidade, apresentamos o caminho percorrido pelo PPGLE para inclusão da
referida aluna, e elencamos ações que vemos como necessárias e urgentes de serem implementadas na UFCG.

Biografia do Autor

Shirley Porto, UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

Doutora em Educação. Professora de Literatura geral e língua de sinais na Universidade Federal de Campina
Grande – UFCG/Brasil.

Maria Reinaldo, UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

Doutorado e Estágio pós-doutoral em Linguística pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora
titular do Programa de Pós-Graduação em Linguagem e Ensino da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG/Brasil.

Girlaine Aguiar, UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

Mestre em Linguagem e Ensino pela Universidade Federal de Campina Grande - UFCG/Brasil.

Publicado

2020-01-23